,
Reconhecimento

As pessoas que fizeram parte da história da E. E. F. Sagrado Coração de Jesus

Prof. Lenita Fuck
Foto: Foto: Acervo Fátima Santos
10 de agosto de 2010. Homenagem para os Aposentados

No início, durante o planejamento, na essência dos rabiscos procurou-se entender com exclusividade à qual finalidade e à qual pessoa desfrutaria tal aconchego e agregar-se-ia em cada traço os elementos certos para atender à essência humana, edificando junto aos materiais - sentimentos, muita aprendizagem e sonhos de vida - realizados pelas Irmãs Franciscanas e comunidade local. 

Assentou-se tijolos, vigas foram erguidas, em tudo se fez com êxito, acerto, com pá, cimento, suor - ingredientes necessários, mas não sendo mais importante do que a fé e o trabalho das pessoas envolvidas naquele momento - que olhando para as suas mãos calejadas pelo esforço torceram por um mundo novo nascer, pois tinham a certeza de que não havia no mundo algo que fosse mais belo, que de parede em parede o sonho estava ali virando realidade resplandecendo aos poucos um majestoso lar que abrigaria uma grande família - uma família que aumentaria com o passar dos tempos, seria lugar de passagem de gerações em gerações, que despertaria olhares em diversas direções - potencialidades - dons - talentos - valores, de oferta do afeto, lazer e ensino, com conhecimentos, brincadeiras, cuidados com a saúde e práticas de formação artística, cultural e esportiva, uma escola que objetivaria sempre a formação integral do aluno.

Paredes foram pintadas como a mãe Terra, cor esta que acalma e conforta - cor da terra e da madeira e por isso está também associada à natureza, como foi paradigmaticamente vivido por São Francisco em sua veste. Uma cor exuberante que em algumas filosofias significa segurança, prosperidade e na cultura ocidental, o marrom representa a seriedade, maturidade, estabilidade e responsabilidade.

Como poderia do entrelaçamento de materiais brutos nascer um lugar tão aconchegante e caloroso cuja magnitude em sua missão foi imensurável no sucesso ao resultado que visasse o reconhecimento da vida, da excelência na formação de cidadãos conscientes de seus direitos e deveres atuantes junto à comunidade - mostrou-se então que essa concretude só obteve valor pelo envolvimento do material humano com sua ascensão intelectual, emocional e espiritual vindos em sonhos e realizações pelas Irmãs Franciscanas, sociedade da época e de muita gente qualificada que administrou, supervisionou, orientou desde àquela época e o faz em dias atuais.

A vacilante glória da hora de entrar em sala é esperada, pegar o caderno tão caprichado e participar, pois escola é lugar para aprender, crescer para o mundo entender. É durante a vida escolar que as lembranças irão tomar formas por momentos surpreendentes de uma época dourada; época de fazerem-se amigos, ter por perto gente que se conhece, se estima, se conecta; é ambiente de camaradagem, que passam unidos por dificuldades e se ajudam entre si, é de responsabilidade de todos - cada um com seu jeito, personalidade e habilidades contribuírem para manter essa escola, edificá-la e harmonizá-la. É porto seguro para o repasse do conhecimento, é incentivo para a vida, para mudar o mundo em direção ao bem, é dignidade a quem não tem identidade - a quem foi esquecido, viveu marginalizado e agora nesta escola o seu mundo expandiu, foi reconhecido, virou gente de verdade e ele ficou sabendo do texto - do contexto - do intertexto - da interdisciplinaridade, "dos eixos, do quadriculado, da geometria e da álgebra. Agora podia o mar atravessar, o Universo para descobrir, as pirâmides para medir. Tudo existia até a trigonometria, construíram-se triângulos, mediram-se ângulos", fizeram-se cálculos e poderia ir a qualquer lugar... Isso tudo dentro de livros, isso tudo nas aulas, nas conversas entre os colegas, na pesquisa à biblioteca, nos vídeos repassados, enfim conhecimentos significativos para se obter melhor qualificação na vida e por tudo isso teria prosperidade pelo trabalho - seria alguém que poderia opinar e participar na sociedade.

E ali naquela sala, lá em outra sala, acolá em outro corredor, no recreio, no antes e no depois - pessoas de todos os tipos; aprenderam a ser amigo sem ser preciso pesar o que se pensa, nem medir o que se diz, pois na amizade verdadeira tudo é realizado para que a outra pessoa desenvolva a felicidade, reduza o sofrimento, duplique a alegria - divida a alegria e a dor.

E nesse lugar fazendo a compreensão que desde a sua construção - cresceu o operário, o projetista, a Irmã, o administrador, a criança, a professora e a comunidade. Cresceram em alto e profundo, em largo e no coração adquirindo-se nova dimensão, cresceram em maturidade, em nova visão como Francisco que exorta a anunciar o bem e a paz e a testemunhá-la com doçura para a verdadeira concórdia, porque quem possui a cultura possui o bem, possui a paz e assim num lugar alicerçado pelo aprendizado do conhecimento, da formação como pessoa humana, no desenvolvimento do senso crítico pessoas e mais pessoas são instruídas e passe o tempo que passar lembranças são lançadas e recordadas com afeto, carinho e muitas saudades há desta grande família que compõe a Escola Sagrado Coração de Jesus.

OS SENTIDOS - OS VALORES E AS PESSOAS DA ESCOLA SAGRADO - TEXTO ESTRUTURADO POR LENITA FUCK COM AS HOMENAGENS E COMENTÁRIOS COLOCADOS NO GRUPO DO FACEBOOK 'SAGRADO RUMO AOS 100 ANOS' (2018). (SE NOMES FORAM ESQUECIDOS, ESSES NOMES, MUITOS OUTROS NOMES ESTÃO EM LISTAGENS NO MUSEU DA ESCOLA, NOMES ESTES DESSE TEXTO MENCIONADOS NO GRUPO SAGRADO).


O Sagrado tinha o cheiro de lancheira nova de plástico, porque ter tudo novo no início do ano letivo - era um Natal fora de tempo pela aquisição dos materiais novinhos e pelo nascimento de sonhos pessoais - estudar - ser alguém; o Sagrado tinha o cheiro do tecido novo do uniforme, quando ele era feito com todo cuidado e carinho por nossa mãe ou por 'aquela senhora tão afetuosa amiga da família'(Senhoras - AMÉLIA CORNELSEN SUCKOW, SOFIA HUMENHUK MALINOSKI, MARIA ROCIO PEREIRA, MINA, CARMEM NADER, entre outras senhoras que gostaríamos de lembrar os nomes); O Sagrado tinha o cheiro de mochila nova - comprada pelo esforço de nossos pais, pois mochila nunca era 'barata' - e era 'aquela' que a gente sempre queria; o Sagrado tinha cheiro da sopa da D. Paula (Paula Bueno) que já no dia anterior preparava e lavava as verduras para no dia seguinte colocar para cozinhar em fogão a lenha - devagarinho - mexendo para não queimar e sopa no fogão a lenha tem um sabor inigualável e aqui se lembra de alguns profissionais que faziam tudo certinho para que o Sagrado funcionasse de forma esplendorosa (ERNA DREWECK, NELMA CORNELSEN, ELIZABETE SALOMON, MARIA ELENICE PEREIRA, SERLI MAIESKI, ANA MARIA NIESPONGINSKI, ANA NUNES, ROSE DIEFENTHELER, ROSA BODDENBERG, JANICE DE FÁTIMA KRAILINK, CRIS, ISA ADUR, MARIA, JOVINO TEIXEIRA DA SILVA, LORI SANTOS DUARTE, ARISTIDES ROCHA, ALFREDO TRAP, entre outros que estão gravados nas lembranças de cada estudante e profissional da escola); Cheiro do pão com banha ou com mortadela levado para lanche... Não que se lembre só de comidas, nesse caso específico lembrava-se que foi a mãe ou o pai quem preparou - estava ali naquele sanduíche 'a presença' 'um pouquinho deles'- um ato de amor deles por nós e que acalmava um pouco a saudade que sentíamos deles estando em aula - era esse lanche que fazia a ponte entre eles e a gente ' alunos' - ponte da saudade; cheiro da mimosa aberta embaixo da carteira e quando a professora percebia - ganhava muitas mimosas só para não ficar brava e quem abrisse a mimosa em aula ouvia : 'devem pedir vermífugo para a mãe' - na época era 'lombrigueiro' kkkk; da bala hall's distribuída na sala - na época dos anos 80 quando o Hall's apareceu de diversos sabores; do chicletes de hortelã na boca do amigo - dava 'vontade' (dava 'bicha') como falávamos e na pura inocência o chicletes era tirado da boca e oferecido um pedacinho - para não perder o (a) amigo (a) aceitava-se kkk; do café servido às professoras e "do cheiro de café torrado que saía da torrefação de café do meu pai e através do vento invadia as salas de aula do Sagrado!" como lembra Janete Woitexen; O Sagrado também tinha cheiro de medo nas horas de dizer a tabuada, falar o ponto de história decorado lá na frente, da visita da diretora dizendo: 'Tem gente que... ', do medo daquela menina grande que olhava atravessado na hora do recreio e dizia: -' vou te pegar' kkk, por isso nem as coisas às vezes dando certo - com tudo isso lições foram aprendidas para a vida; do cheiro dos cedros, flores, verdes que rodeavam a escola e que às vezes eram arrancados e ofertados às professoras para fazer um charminho; da poeira levantada pelos alunos no futebol do cercado do centro (chiqueirão) - que depois teve grama, mas mesmo assim vinha o cheiro de grama para dentro das salas do corredor xadrez e a gente não via a hora de ir lá fora; do cheiro da cera passada nas salas de aula - nos corredores - o que deixava tudo com cheiro de limpeza e como dizíamos ' atiçava as bichas' pelo cheiro do querosene; do cheiro do kisuco colocado em garrafas de laranjinhas e ofertado no dia das crianças; o Sagrado tinha e tem cheiro do cloro da água na limpeza dos banheiros - sempre limpinhos - podia-se ter naquela época 'o papel no banheiro' (éramos educados a não estragar) ; do cheiro da capa nova do livro - no folhear às páginas tentando ver tudo o que havia pela ansiedade do momento; do cheiro da borracha e quando chegou na papelaria a borracha com cheiro de morango - de tutti fruti - que tentação - ninguém apagava mais - só ficavam cheirando borrachas na aula kkk; dos lápis de cor e não é que 'alguém inventou' um lápis de cor que molhando virava tinta?... Essa foi uma das melhores partes da história das artes para alguns, mas há grandes momentos artísticos que se lembra - do cheiro das tintas e daquele verniz que a Maria De Lourdes Brehmer ensinava a nós todos a fazer figuras e quadros envelhecidos - foi a maior sensação tornar-se artista; do chá de 'Marcela ou Macela' servido na cozinha para dor de barriga - amarelo - meio amargo, mas que funcionava; do cheiro da pipoca meia hora antes de bater para o recreio, então ninguém estudava mais só 'pensando naquela pipoca - que naquela hora era a melhor do mundo' - como registrou Eliane Drzeviecki Furlan que " O cheiro da pipoca da Kombi que ficava perto da cozinha...aumentava a fome e a vontade de ir para o Recreio" (lembranças dos pipoqueiros: ACIR FERNANDES, algumas vezes pipocas dos senhores JACOB BONKA, CILO FERNANDES, OSNI FERNANDES, entre outros marcados em muitas lembranças); que o Sagrado tinha "cheiro de chocolate quente no inverno" como relata Marcia Regina de Barros; o Sagrado tinha e tem o cheiro do amaciante dos guarda-pós das professoras e na época dos anos 80 - só usava amaciante quem era mais afortunado (a), porque era novidade e toda novidade era cara no início; O Sagrado tinha cheiro de canela do bolinho de chuva da vizinhança do Sagrado nas manhãs frias, do tempero do feijão e da galinha frita ao meio dia pela casas das ruas que cercavam e cercam o Sagrado, da fumaça de algumas chaminés em dias de frio, das flores da primavera, do suor dos meninos da educação física e do perfume exagerado das meninas. "O Sagrado tinha o cheirinho de almoço que vinha da cozinha das freiras, quando passávamos para ir embora, ao final das aulas da manhã... inesquecível" - como nos conta Maria Claudia Ferraresi Blosfeld; "o Sagrado tinha o cheiro do almoço da cozinha das freiras e dos cheiros de cucas assadas que saiam das janelas que davam em frente ao salão nobre" - como lembra Leticia Gonçalves. "O Sagrado tinha e tem cheiro de dia das crianças e cheiro de quando ganhávamos (cada aluno) uma laranjinha é um chineque!!!!! Era muito bom!!!" - como comenta Maga Trein Soares. O Sagrado tinha cheiro de recordações como a do dia do estudante [...] "estudava no magistério e as professoras falaram que haveria palestra. Chegando ao salão nobre ganhamos laranjinha e bolo. Pense na faceirice", como nos conta Leticia Gonçalves. O Sagrado tinha e tem cheiro da horta escolar implementada em projeto; do plantio - da escolha das plantas - dos cuidados com o jardim ao ar livre feito em 2016 / 2017 e cheiro dos grandes sonhos do diretor James (JAMES BREY) - das diretoras REVMA. SOR. MADRE ALBERTINA BISCHOPH, IRMÃ FELÍCITAS, IRMÃ CAROLINA GROSS, IRMÃ MARIS STELA BANNACH, IRMÃ ANYSIA WERLE, IRMÃ NÍVEA HOLZBACK, IRMÃ LEOCÁDIA BIELSKI, IRMÃ IRMÃ CARMEM WELTER, IRMÃ CLICÉRIA POSSER, IRMÃ ADELINA ZITA, IRMÃ OLGA PERUZZOLO, IRMÃ IDA WARKEN, IRMÃ TEREZA C. LUNELLI, IRMÃ ÁUREA CELLUPI, IRMÃ NILSE SPRICEGO, IRMÃ TEREZA FAVARETTO, REGINA WEINERT, MARIA GORETI KUMINEK, LAURECI FATIMA FUC K, CLECERIA BALUTA, EVELIN SCHELBAUER MULLER, MARCIA BECHEL DE SOUZA E ARLETE WUNSCHE... Sonhos realizáveis - honrosos e dignificantes. Os Cheiros do Sagrado eram diversos - das mãos edificadoras do Colégio, da Fé pelas Irmãs em deixar para a Comunidade de Canoinhas uma escola de qualidade, dos sonhos dos professores e professoras na realização de ideais pessoais, profissionais, vocacionais dentro de suas capacidades, realizações, habilidades e sonhos... O Sagrado no mês de junho tinha e tem cheiro de xixo, pastel, pinhão, quadrilha, apresentações - exalando tradição - cultura e parceria com a Comunidade. No Sagrado há também cheiros que despertam saudades, lembranças de momentos como o Natal e a Páscoa, recordações de outros tempos, de outras pessoas - alunos e professoras e esses cheiros todos juntos fazem com que o Sagrado tenha o seu cheiro, o seu único cheiro - inesquecível como ele só e "cheirando saudades" como expressou Aurea Maria Schreiner... "Ah... todos esses cheiros. Toda a vida que desde muito tempo correu e corre pelos corredores do Sagrado. Quanto amor! Quanta dedicação e carinho. Afortunados somos todos nós que pudemos viver e os que ainda vivem tudo isso crescendo dentro das paredes do Sagrado! "(Licia Neppel). E essas lembranças - esses cheiros não param por aí...lembram as aulas preciosas de filosofia de EDERSON LUIZ MATOS MOTA, ILSE GRAFF, PEDRO REITZ... - das aulas de português significativas para a vida de EDERSON MOTA, LAILA BOSSI, MARIA DE LOURDES BREHMER, CLECÉRIA BALUTA, MOACIR MOTTER, FABIANO OLESKOSVICZ, RENATE RIEDE, SALUA SELEME, MARCELINA PAPE, MILTON RUPPEL, LÚCIA BELITZ, JANETE WOITEXEN, NORMA WIESE, CÍNTIA DAMASO, LENITA FUCK, IZARINA MARIA GUEBERT BAUER... - das aulas inesquecíveis de Matemática de IRMÃ ROSA, ALINE DITTRICH, DARCI DOS SANTOS MACHADO, HILDEGARD THIEM, CLARICE FERNANDES PEREIRA, NEIVA MACHADO, JOÃO MÁRIO GROSSCOP, REGINA WEINERT, MARINÊS MARIA MAIÉSKI KASCHUK, MIRIAM WORELL, JURACI ARTNER HEUKO, JOELMA MEDEIROS, ANA MARIZETE CERIOTTI, MARIDÊ, ESTER MARILU BENDA... - das aulas magnânimas de geografia de IRMÃ AMANDA, IRMÃ TEREZA C. LUNELLI, IRMÃ LÚCIA, IRMÃ DORIS E IRMÃ GLICÉRIA, LEONOR SELEME, ZEFERINA CRUZ DOS SANTOS SCHIMIDT, JOSINA SANTANA BATTISTTELA, SIRENE VOLKMANN SELEME, DEVANI PACKER DE LIMA, LUCIANE PIECZARKA, IARA INES GRESCZESCHEN GRESCZESCHEN, VANESSA CRISTINA CONCEIÇÃO, TERESINHA HOECKESFELD WOITEXEM, ADELEITH L. M. RIBEIRO, KELY JUREVICZ... - das aulas empolgantes de História de NELSON WETZEL, ARLETE VOIGT, SALETE SACHWEH, LUIZA MARIA PREISSLER, MILVO MIOTTO, IRIS MARIA PFAU, ANA STEIN, LUCIANE BOEING SOARES, MAGRIT NEUMANN, JOSÉ ROBERTO WOSGRAU... - das surpreendentes aulas de ciências e biologia da IRMÃ VIANEY, IRMÃ VERONICE, REGINA CELI SCHRAMM SELEME, ADAÍR DITTRICH (PUERICULTURA), MARCOS SCHOLZE, RENI SCARANTO, MARILDA MULLER LANGER, EDITH HAUFFE, LIOZEMAR DOIN DAS FLORES, ZÉLIA MARIA PETERS, SERLY FORTES BRUM, LEILA CRISTIANE LIMA, MARIANE WACHINSKI, MARIA EDE STEIDEL, LETÍCIA GONÇALVES FERREIRA... - das aulas de inglês da IRMÃ FELÍCITAS, ARLETE VOIGT, ANNEMARIE LEBER SACHWEH, MAELIS SCHREIBER, ANASTÁCIA LACOWICZ, BERNADETE BALLUTA, CINTIA DAMASO, ANA CLAUDIA ZAN, FABIANO OLESKOSVICZ, LENITA FUCK, LUCIA BELITZ, IZARINA MARIA GUEBERT BAUER... - das aulas admiráveis de didática, estrutura de JOANA RAQUEL MIOTTO, ROSANE SELEME DA SILVA... - das aulas sensacionais de educação física de CECY CESCONETTO, IZABEL MOTA, ALINE DITTRICH, CAPITÃO ROGÉRIO SCHMIDT, RENATE RIEDE, NIVALDO BRAZ, NORMA GONÇALVES FERREIRA, ELISABETH FONTAN, SOELI TEREZINHA BERTÃO BONA, ROSALINA BELINSKI, REGINA, ALVIR BELINSKI, PAULO PINTO, ARLETE WUNSCHE, REGINA PEREIRA SELEME, VIVIANE MARIA JENZURA, MAGA TREIN SOARES, CLAUDECI VOIGT, REGIMA ZOMER, RICARDO PEREIRA MARTIN, ELOI BONA, JAMES BREY, RONALDO MATIOSKI, CRIS DIAS, VIVIAN KRUEGER, JEANE E TONINHO, NÉLIO CORNELSEN... - Das aulas de artes incríveis de RENATE RIEDE, ADAIRA ELIAS ROSA, FÁTIMA SANTOS, MARIA DE LOURDES BREHMER, LÚCIA MANSUR BOCKOR, ILVANE CAETANO KUCHLER, RAQUEL DE FÁTIMA METZGER SIEMS, CAROLINA CARVALHO, EDNA CARVALHO, KENY BREY SCHAFASCHEK, ELIANE CARVALHO, LUCIMARI SPIES, CELI T. DE SOUZA, ESTHER ABIGAYL PAUL, YASUSHI YAMASAKI, LUCELIA GORETI PFLEGER DIAS... - Das aulas de Religiosidade grandiosas, que despertavam força - fé e amor com AS IRMÃS FRANCISCANAS, COM OS PADRES DA PARÓQUIA DE CANOINHAS, COM O FREI ELIZIÁRIO, COM OS (AS) PROFESSORES (AS) MARIVALDA BRANDES, JUCINEI PEREIRA, ROSANE WEBER... e com os tantos nobres alfabetizadores, incentivadores para a paz e o bem, norteadores dos bons caminhos - coordenadores para mostrar para a criança e ao adolescente que deveriam ter excelentes propósitos e objetivos dignificantes de vida - administradores - técnicos - supervisores - orientadores como foi o trabalho honroso de MARA RAQUEL FUCK, MARIA JOCIANE WITTLICK WOITEXEN, ADRIANA CORRÊA YAMASAKI, FERMINA CASSEMIRA DE PAULA E SILVA CARVALHO, MADALENA ARNOLD, LAURECI FUCK, VALIRIA SAKR, DIRCE DE OLIVEIRA ANDRADE, LÍCIA NEPPEL, SOLANGE APARECIDA HOLLEN, ELIZABETH DRZEVIECKI PETERS, DENISE PFAU, DIVAIR DAMASO, AUREA MARIA SCHREINER, DOMICELA S. BREHMER, NORMA KREISS DE CAMPOS, ODETTE ZAGUINI, CASEMIRO JOSE MOTA, SUELY MARCOLIN, OLGA FESCNER GROSSL, ARNALDO ERWIN MEWS, CAROLINA ALZIRA SILVA DE MIRANDA, LUIZA MARIA ISPHAIR WENDT, BRÍGIDA LOVATEL MORESCHI, ELZA SCARANTO, EGÍDIO LONGO, NEIVA BARCELOS WOICIECHOWSKI, DALVA E MARIA DE LOURDES BUDANT, IRENE SCHREINER MAJESKI, IOLANDA PIECZARKA, ALZIRINHA DA SILVA CORRÊA, CARMEN SELEME, MARLI SEBASTIANA MORESCHI, MARIA TERESINHA BAYL KARVAT, EUNICE GAPSKI, GLICIA BUSS, LUCIA DOBROCHINSKI, JENNY MARIA SPHAIR, CARMEN LUCIA CARNIERI, TÂNIA REGINA DE CARVALHO, MARI GRAFT RUTHES, SILVIA BLEY PANGRATZ, MARLENE LUDKA MELO, JEONECE DOMBROVSKI KRAUS, BERNADETE MARTINS, ANA MARIA BABIRESKI COSTA, ESMERALDA SELEME BUCHAMMAN, SOLANGE FRIEDRICH CARRARO, MARIA LUIZA BUCHMANN ROGOWOSKI, PAULA PECHARKA, EMI MACHADO, JUSSELINA PAUNA NUNES, IRACEMA DIAS, EDILIA KALEMPA, ZOÉ SELEME, DENISE PELUSO, TEREZINHA UBA, NÍVEA MIKUS, MARIA CRISTINA ALVES VACHTEL, FATIMA GAPSKI, MARCIA FINK, MARILDA ALBERTI SCHEUER, ELENICE ROEDER F LIMA, VANESSA SANTOS, RENATA SILVA DE SOUZA, ILENA DOS SANTOS, JUSSARA KUCHLER, ANDRÉA P. PADILHA, ROSILDA VOLOSCH FERREIRA, KARIN CORREA DE LIMA, EVELIN HEIDEN FU CK, EDENISE NAISSER CARLOS, CLAUDIA SIMONE BECHEL, EDENISE NAISSER CARLOS, MARILISA FUCK, LEILA GUGELMIN, MARIA ELISABETH ROGOWSKI, DARLI DAS GRAÇAS COSTA, DONA JOSEFINA, PROFESSORA ANOITECER, LÚCIA IRANO, JAROSLAVA POLIMANI FLORES, ROSI APS SIEVERS, VALDIR KOHL, NAYR ENELY DALLAGNOL, SILVIA TREML, SANDRA BEATRIZ WITTLICH BUENO, SILVIA CRISTINA LEMOS BECKERT, SILVIA KRULL, ANA CAROLINA ALLAGE, ANOIR SILVA DOS SANTOS, ROSANE ARNOLD, NILDA DRZEVIESKI, HAIDÊ DE MARIA, FERNANDA ISFAIR, MARLENE NAVALSKI, GRAZI FEGER, MARILDA SCHEUER, CHARLIE K. BUENO, RAQUEL FRANCO, SUZI MUHLMANN RADUNZ, DIRCEU SOARES, ANA CLÁUDIA ZAN, HILDA HEUKO, TANI MORESCHI, EMANUELI KNORYK, ELIANE ZANELLA, SIL BECKER, MARIA ROSELIS KOMOCHENA, DÉBORA VAZ JENZURA , DÉBORA VAZ JENZURA , CLEUSA BIALESKI , KARIN ALINE DITTRICH, FLERIDE BITTENCOURT , ANELISE FUCK, KARLA BREY, MARCIA ALLAGE FUCK, DOLORES BALOCK, ELFRIEDE ISPHAIR, ÁLVARO MEDEIROS, MIRIANE RAFAEL, MARI NEIDE ALEXANDRE, ROSANE CALDAS, JANICE AP STEIDEL KRASNIAK, CLEUSA ADRIANA LESCOVITZ DA SILVA, SILVANA BRAUTL, CLICEIDE ZOMER PENKAL, ARIETE FERNANDES DE OLIVEIRA, ELIZETE ENGEL DE CAMARGO, SILMARA KICHELESKI, LIZETE ROGOGINSKI, MAGALI PADILHA, FRANCISCA STOCKER MAIORKI, JULIANA SZCZYGIEL, JULIANA IARROCHESKI, GISELI MASSANEIRO, IVETE ARTNER WERLANG, VERIDIANE FRANCO DE OLIVEIRA, ROSICLÉR JANTSCH TREVISANI, MARIA BENEDITA POLOMANEI, CLARICE SIEMS, TEREZA BUDANT E MARCOS BUDANT, ROSANE GRACHESKI DA ROCHA, VERONI GAVASSO, KARIN SANTOS STANGE, BEATRIZ BRANDES GROSSKOPF, JUDITH KRZESINSKI, PEDRINHO FERREIRA, ELENICE GRUBER, VANÊSSA MARIA DOLISZNY, NEIDE CRISTINA BECHEL, LUCIMAR MARKO DOS SANTOS, LUCIENE MARIA ZIMMER, AGNES MARKO, LEOCÁDIA WOLSKI, LAIR FERNANDES PEREIRA, TANIA REGINA WENDT, EDAISI KELLY GONCHOROWSKI, STELA MARIS HENRIQUE, ROSEMAR ANGELA GATZ, ZAIRA PEREGO SOARES, SOLANGE PEREIRA, ERICA RODRIGUES, IVETE HORSKI CORREA, THIAGO MOKWA, REGINA MARIA MAYER, RUTH PANGRATZ DE PAULA E SILVA, SYLVIA MARIA DE MIRANDA, HILDA ULTHES, ANGELA IACHITZKI, MARIA CELINA MURARO, SAILA SORG, REGINA BASTOS, MARLY HELENA LINZMAYER F. ANDRADE, SANDRA HEIDEN, BERNADETE H. LANGER, IRMÃ ANGÉLICA, CARLOS PFAU, DOMICELA SZCHERBOWISK, ROSELIS CRESTANI, PAULA SELEME, FABIA ANTUNES DE SOUSA, MIRIANE WACHTEL, BATUTA ARTUR , JOCELI CARVALHO MAOSK, MARILU HOFFMANN AGUIAR, JUSSARA RIBAS, SILVETE WENDT ALVES PEREIRA, CRISTIANE MORAES, JOCIANE ZARANSKI, CARIN JANTSCH, VINICIUS, TEREZA ROMANIO, SUELI DE FATIMA SABATKE, ROSELI HAUFFE, RAFAEL LAURENTINO - DANIEL - SANDRO = FILHOS DO PROFESSOR PAULO PINTO, JOSEFINA FREITAS, DIRCEU SOARES, ITY KMIECIK, ESMERALDA DA SILVEIRA, JOCIANE ZARANSKI, GASPAR SOARES, LENI PFAU, DALVA PACHECO, ROSINHA SELEME, LEATRICE (TIA DA VIVIANE SCHUMACHER FERRARESI), ENEIDA MIRANDA LIMA ARAUJO, MARLI BURGARDT, GESSY RANK, ANETE HORSKY, BERN WALTER GRAFE, DIRCÉIA MARIA PRADO, EDUMAR RICARDO DA SILVA, GERSI GOLANOVSKI GONÇALVES, JOYCE DE FATIMA WIESE IANSKOSKI, JUSSARA MARIA GUENZE, SILVETE ROSINHA HELKO, ELFI IRENE NOERNBERG, ALEXSANDRA DE SOUZA BAUER , ANDREIA OLIVEIRA FUC K, SALETE ANDRADE, LÉIA PAUL, SOLANGE STELZNER, SILVANA MARA KNOREK, MARILDA KRULL, ELIZABETH DE SOUZA GUEBERT, ÉRDINA HOLZAPFEL LUCAS, APARECIDA CUSIN, IZANE MARIA PEREIRA, LARISSA FUCK, NEUZELI REGINA LIMA, INÊS MARIA TRELA ARTNER, REJANE ENNES, SANDRA MARA ANDRADE, EVA JOSEFA KRWIECIEN RODRIGUES, EUNICE MARIA BARTNIK, HAIDE MURAKAMI, IZABEL BUBA, IARA HELENA, ALZIRA ACEDINA MIRANDA PEIXOTO, CARMEN LUCIA BLEY MARTINS, SIRLEI KOPICZ, ROSELI MARIA SCHREINER, LILIANE ISFAIR, SONIA ENEDINA PETTERS DE QUADROS , OLIVIA TODT, PAULA CAROLINA PAUL TREMEL, LUIZA HELENA NUNES , LUCIANE WAGNER, REGIANE XAVIER, JANETE SUELI MULLER, TANIA MARA WITT, MARIA LÚCIA OLESCOWICZ, SIUMAR GODOFREDO, REGITON MELO, SIDIMÉIA DIAS DOS SANTOS, MARCOS MARKIV, ROQUE HENNEMANN, FÁTIMA BEATRIZ HENNEMANN, GASPAR SOARES, ISA KUJA, ÂNGELA MARIA SOARES, DIRCELIA LEANDRO DOS SANTOS LIMA, LAURA FERNANDES, FABÍOLA WALTER, CLEA PEREIRA, MARCIA KUROLI, MARGUIT GARBI DA SILVA, MARIA JANETE DRANKA, REGIANE SUCKOW , MARIA DE LOURDES TRELA, DIRCE HESSE, ITAMARA HACK, ELISA LINHARES DA SILVA, MARLI SCHOLZ, ELENICE CARVALHO WOLFF, ELIANE PEREIRA PIECZARKA, JERRY A DIRSCHNABEL, EVANITA WAGNER GROSSKOPF, PEDRO PENTEADO, ANA MARCINICHEM GARCIA, LAURECI MACIEL, JACI BARBOSA CAMARGO, ALCIONE GROBE REPPA, EMANUELI KNORYK, MARINA NUNES, KELLIN MICHAHOUSKI BOESING e tantos mais, muitos mais professores, pessoas ligadas à escola que deixaram cheiros das rosas que ofereceram, do suor do trabalho responsável, do folhear páginas de livros em busca de respostas, das trilhas percorridas juntos (aluno X professor)... E por esses cheiros diversos do Sagrado sentiu-se a lágrima de alegria - de saudades - de conforto... Pode-se olhar para diversas direções, para todos e para tudo... Pode-se sentir o abraço de agradecimento, o aperto de mão sincero de reconhecimento... Pode-se escutar o som mais lindo da primeira palavra lida, do poema declamado, da canção ofertada... Para falar do Colégio Sagrado tem que se ter coração puro e sincero - como fazem 'aqueles (as) alunos (as) e professores (as) que por ali passaram e sentem que é preciso agradecer a tantas oportunidades que tiveram - de poder realizar o que pretendiam - desenvolver suas potencialidades e melhorar em sua formação. Para que o Sagrado seja rotulado de lugar bonito - enobrecedor - Qual é a unidade de medida da beleza do Sagrado? Recorre-se à estética estrutural ou à história para avaliar o Sagrado? E o legado cultural, a cor local, a população, onde e em que medida entra a fórmula? Não se tem as respostas, como, de fato ninguém tem. Para compor o comentário acerca do Sagrado, foi preciso lançar mão de um punhado de dúvidas... Foi preciso escrever - soltar as palavras como manda o coração, como nos coloca Carmen Lucia Carnieri ao comentar que: "Foram 13 anos, do Jardim ao Magistério. Fonte de inspiração e descobertas, ali iniciei minha vida profissional. Voei para outros lugares... E fiz dos corredores de escola a minha jornada por 36 anos! Sou o que sou pelo conhecimento, formação de valores e afeto que recebi das pessoas que ali estavam e foram à base da construção de meu eu...Saudades desse aconchego e gratidão". Mas que lugar é esse? O conceito de lugar é muito importante, pois representa a porção do espaço geográfico dotado de significados particulares e relações humanas. Segundo Marcia Regina de Barros o lugar Sagrado é: "Meu colégio querido... Da aurora da minha vida... da minha infância querida e que a ti devo minha gratidão eterna." O lugar - tudo depende da abordagem empregada na utilização do termo, bem como da corrente de pensamento relacionada com a teoria em questão, como relata Adriana Correa Yamasaki ao fazer a reflexão sobre o Sagrado: "Quantas histórias guardam esses paredões... Quantos horizontes essas janelas já abriram dando asas a sonhos em busca da realidade! Sagrado és tu imponente colégio, pulsando vivo na educação, na vida de tantos que te eternizam em suas lembranças vivas no santuário do coração! " E como afirma Janaina Vesaro ao concordar com a ideia de Adriana: "Com certeza minha linda amiga Adriana . Eu amo essa Escola" A palavra e significação de 'lugar' em uma escala de análise, refere-se apenas a uma porção mais ou menos definida do espaço. No entanto, essa ideia foi sendo enriquecida ao longo do tempo e do avanço das discussões. O sentido do lugar estaria vinculado à ideia de significação dessa paisagem em si. A partir daí, esse importante termo foi sendo vinculado não ao local, mas ao significado específico, ou seja, aos atributos relativos e únicos de um dado ponto do espaço, transformando suas impressões em sensações únicas. Janaina Vesaro lutou para estudar no Sagrado e não desistiu - assim foi o seu comentário: "Foram anos - do ano de 1982 ao ano de 1992 estudado neste querido e amado Colégio. Quando eu estava na terceira série eu queria estar outra vez lá. Mas não tinha vaga pra me matricular. Mas no ano seguinte outra vez aconteceu. Não tinha vaga alguma. E no outro ano deu certo - fiz a matrícula e comecei a estudar ali de novo, foi um tempo muito bom." Com a evolução, a ideia de lugar passou a associar-se à corrente filosófica da fenomenologia que, basicamente, trata os fatos como únicos, partindo da compreensão do ser sobre a realidade e não da realidade em si, esta, tida como inatingível. De acordo com Irene Dias Mafra há: "Boas recordações deste colégio!" Por isso, o lugar ganhou a ideia de significação e, mais do que isso, de afeto - percepção, como nos coloca Regina Julieta Miranda Stiebler: " Desde o 1°ano até a escola Normal - estudei no "Colégio Sagrado Coração de Jesus". Quantas lembranças boas... Histórias que ficam em nossa memória - por isso deve-se viver da maneira mais intensa e da melhor forma, como nos coloca Joseane : " [...] a vida passa muito rápida! Viva intensamente com paz amor e dignidade" (Joseane Guttervill Wouk). A capela, as horas cívicas, o anjo que nos abraçava com tanto encantamento em nossas imaginações infantis. A sala dos professores... Inesquecível (minha mãe era professora) desta maneira eu podia entrar ...mas para nós crianças, era um lugar muito especial... Irmã Nívea e suas aulas de música no piano. Ouvia uma voz que falava parando o piano e no meio da música escutávamos: -'Miranda e Companhia - quietas!' ...rsrsrs - Irmã Angélica e sua letra linda que inspirava a todos. A cozinha, um lugar para desbravar. E as escadas que alegres deslizávamos. A maçã no dia das crianças... Os corredores que dava para o quarto das "freiras"...Momentos especiais, difícil de nomeá-los. Uma linda história para contar". Esse lugar ganhou significações diversas, consagrou-se Sagrado e é tão bonito aos olhos - que a ele vigiam, relembram e o mantém dentro do coração como forma de gratidão, na mente como cultura e nas lágrimas derramadas como saudades - "Queria voltar no tempo e refazer minha história. Partindo do magistério" (Siomara Sio ). "Gostaria de voltar no tempo e rever todas as pessoas que fizeram parte da minha infância aí no Sagrado como os alunos, professores, as Irmãs e os funcionários. Seria uma alegria imensa" (Maria Antonieta Gallotti Villanova Balestreri ). Lágrimas de emoção - agradecidas que emanam energias boas para o futuro de todos que passarem pelo Sagrado: "Gratidão! Muita energia positiva! Harmonia ao universo! Paz na alma e amor no coração! Perseverança, amor, fé, bondade, iluminação, bênçãos e prosperidade a todos! Que a vida seja uma paleta de cores radiantes e alegres" (Lucimari Spies).... Sendo objetiva na conversa: O SAGRADO: "Sem Deus nada teria, sem as Irmãs nada seria, sem as professoras nada se aperfeiçoaria, sem a Direção de escola nada se manteria, sem o registro da fotografia muitas coisas não se comprovariam, sem as crianças nada seria preciso ter " (Uma colaboração do grupo Sagrado Rumo aos 100 Anos - via Facebook - 2018). Pessoas valiosas passam anualmente pelo Sagrado - deixam um pouco de si e levam muito mais para elas como nos coloca: "Sagrado Coração de Jesus, você foi sagrado para minha formação e meu aprendizado.Gratidão às Irmãs e a todas as mestras que ali tive"( Rosângela Olsen Lubi ). "Espero que daqui a 100 anos a natureza ainda esteja presente neste mundo , que os homens tenham encontrado a cura para todas as doenças e que o amor ,o respeito ainda estejam presentes no ser humano! Namaste!!!!!"(Ariete Fernandes de Oliveira). Também como ilustra Simone: " Espero que daqui a 100 anos ainda existam amizades verdadeiras e não só virtuais. Que tenha pelo menos um aluno do Sagrado que leia estas mensagens. Paz, saúde e amor para a humanidade." (Simone Maria Wendt). "QUE TAL MAIS CEM ANOS A FRENTE - PODES CRER... A CIDADE NÃO SERÁ MAIS A MESMA, MAS A ESCOLA MANTERÁ AS SUAS PAREDES INTACTAS E COM O MESMO VALOR IMENSURÁVEL DE TAMANHA NOBREZA (Carlos Adriano Priuli). Então, baseado em diversos comentários a Escola Sagrado com seus professores além de repassar conhecimentos de um currículo rico para a vida mostraram e mostram o melhor português 'solidariedade' - a melhor matemática 'divisão ' - a melhor geografia 'para todos' - a melhor ciência 'para alimentar o corpo e a alma' - a melhor religiosidade '' fraternidade' - a melhor educação física 'do corpo são' - a melhor de todas as disciplinas que é 'o amor' e assim por 100 anos vem com essas práticas enobrecendo o Sagrado e a todos que passam por lá. Parabéns Sagrado e que venham mais 100 anos...







CN Online -Lateral.jpg





site cópia não autorizada.png


JORNAL CORREIO DO NORTE - Rua Três de Maio, 364, Centro, Canoinhas-SC - (47) 3622-1571 - Whats: 47 9 8865-7880

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio do Norte