,
Nostalgia

Descrição do corredor xadrez

Por lembranças de Joao Rudolf, Joseane Guttervill Wouk, Fátima Santos, Marisa Silva De Lima, Zenilda Nunes e Marilda Horski

Lenita Fuck
Foto: Fátima Santos

Dizem os grandes pensadores e poetas: Que recordar não é ter, Que lembrar não é ver, E que o ontem não serve para nada. Mas, como não serve? Penso eu; Se a inspiração dos mais lindos, doces e belos poemas são trazidas pelas recordações das lembranças de ontem, Doces e talvez melancólicos cheios de sentimentos - trazidas pelas recordações dos bons momentos sempre valerá a pena, pois mostra a importância do momento, marca o que fomos e recordamos o que sentíamos - as alegrias, os medos, as inseguranças que passamos estando neste lugar- como comenta Joao Rudolf: " Pular o portãozinho e ir no banheiro pelo jardim e não pelo corredor kkkkk"...Como eu poderia dizer que o ontem não serve para nada e o que se faz com lembranças que invadem a mente quando se olha uma foto? O que fazer com os momentos marcantes do tempo de menina? Assim como nos coloca Joseane Guttervill Wouk: "Uma menina, bem polaquinha, correndo por estes corredores na hora do recreio ? ? ? ? ?"Recordar é viver e lembrar que tínhamos sonhos como comenta Leticia Gonçalves: " querer estar no "ginásio "para estudar no andar superior e subir escadas"...Como não importa o passado? Se as recordações nos trazem às lembranças, de lembrar a sua importância e a significação desse lugar em nossa vida - como relata Fátima Santos: " Eu vejo um lindo e antigo prédio atrás das flores. Este prédio fez parte da vida de tantas pessoas. Este prédio fez parte da minha vida, da minha história"... E estas lembranças nos fazem ofuscar o brilho dos nossos olhos, e se foram momentos únicos e felizes - nosso coração pulsará mais forte, mostraremos pelos comentários que fomos felizes nesse lugar de acordo com o comentário de Marisa Silva de Lima: "Saudades dessa fachada, me lembra os colegas de classe, as professoras, a irmã Ida passando para ver se estava tudo tranquilo, o respeito q tínhamos com todos, as brincadeiras no pátio. Tantas lembranças boas". Recordar é adquirir as mesmas sensações vividas lá trás, mesmo que sejam de um passado distante - como lembrou Zenilda Nunes: " Pensar que estudei numa dessas portas...Desse corredor. ..lembrar que deixávamos os calçados ali naquela varanda...Em frente à sala...E entrávamos com um calçado limpo..."e concluindo esse texto cheio de nostalgia lembrar deste lugar e não sentir vergonha de proclamar a todos que fomos felizes, assim como faz Marilda Horski: "Uma infância e adolescência muito feliz!!!"

O CORPO DO SAGRADO 


A estrutura física do Colégio do Sagrado sempre foi enobrecedor, majestoso - dava medo para as crianças iniciantes pelo tamanho... É um palácio para muitos contos de fadas, um forte para muitos guerreiros, um Titanic em busca de novos portos - da esperança - de realizar novos projetos para o aperfeiçoamento das crianças. O Sagrado é um foguete que impulsiona as crianças a desejarem buscar as coisas do alto, de serem alguém na vida, de sempre estar com alto astral, de bem com a vida, de obter a melhor qualidade de vida, de um trabalho digno e de se especializar por outros estudos. O Sagrado é uma escavadeira para os sonhos, um caminhão que transporta dignidade, um fusca que pela sua história nos passa nostalgia, um trem que vai parando de estação em estação esperando a criança em suas potencialidades e capacidades. É a ambulância que salva da ignorância, o corpo de bombeiro que apaga as tribulações da vida e socorre nos obstáculos da vida. É o avião que pede para sonhar alto, buscar sempre mais aperfeiçoamento, que em altura e espaço norteia pela busca da dignidade, da moral, do bom caráter, da nobreza de ser. O Sagrado é como nos coloca a ex aluna Marcia Regina de Barros: "Comparar nosso Sagrado a algo grandioso - Creio ser difícil, mas com toda certeza saíram dai grandes homens e mulheres que construíram grandes obras, pois nosso ensino, nossa educação sempre foi maravilhosa..com disciplina e religião e que fizeram seus filhos como grandes pessoas e suas obras maravilhosas.Obrigada meu querido Colégio". O Sagrado só não sai do chão pelo embasamento teórico - cultural - espiritual - humano que possui assegurando que esse patrimônio fique para as futuras gerações, porque como uma mãe acolhedora e um pai protetor o Sagrado iria junto sempre com seus filhos - alunos - em suas lembranças, porque a cada um que estudou no Sagrado se fez um laço de amizade (Escola X Aluno X Professor X Família), uma aliança de comprometimentos e uma história que será sempre contada com um final feliz.







CN Online -Lateral.jpg





site cópia não autorizada.png


JORNAL CORREIO DO NORTE - Rua Três de Maio, 364, Centro, Canoinhas-SC - (47) 3622-1571 - Whats: 47 9 8865-7880

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio do Norte