,
HOMENAGENS

Homenagens dos ex-alunos e professores pelos 100 anos da E. E. F. Sagrado Coração de Jesus

Educandário está completando um século de história neste dia 15 de janeiro

Lenita Fuck
Foto: Fátima Santos

Sara Marcilia Araujo Ribeiro: "Estudei aí em 1986, era um tempo mágico, maravilhoso! Nossa diretora na época era a Irmã Ida Warken. Jamais esqueço o carinho que ela tratava os mais pequeninos, o amor em pessoa! Às vezes eu sonho que ando pelos corredores dessa escola, que visito as salas onde estudei e vejo meu pé de 'pau Brasil' (o qual ajudei a plantar)! Éramos cobrados, e obedecíamos não só por respeito, mas também por carinho aos nossos mestres. Era tudo tão lindo!"

Osvaldo Sergio: "o Colégio - as Freiras - as brincadeiras nos deixaram recordações de uma infância saudável que ficaram para sempre nas nossas boas lembranças... O colégio Sagrado foi onde nós aprendemos a iniciar uma vida digna dentro dos princípios religiosos - da lei e da ordem. Fiquei 4 anos fazendo o primário e ali aprendi grande parte dos ensinamentos que tenho até hoje".

Thereza Zattar: "As nossas lembranças são as melhores formas de guardarmos momentos que foram importantes em nossa vida, e revivê-los na nossa mente sempre que bater aquela saudade. Os bons momentos lembrados são presentes da vida - são aqueles que deixaram boas recordações - é também o que não poderemos levar junto para a eternidade, mas deixar para quem fica - a quem a gente cativou - como sendo momentos inesquecíveis - com pessoas insubstituíveis e imensuráveis na significação de cada ação. A felicidade vivida é um tempo sem controle - 'pode' durar segundos, mas pode marcar para toda a vida. Pode ser eterno - pois foi incrível e acompanha a vida toda se repetindo; o momento que foi mau poderá tornar-se em uma grande lição e 'essa lição' de 'se dar conta disso tudo' se chama maturidade. E é no momento da maturidade que as lembranças aparecem - ela se espalha como o vento, habita no amor de cada um e na espera por outro momento significativo ou pela repetição do mesmo momento, pois se a gente lembra é porque foi importante e se a gente repete é porque foi edificante - recompensador - prazeroso. E assim a história do Sagrado - da entidade, das pessoas que ali passaram, dos fatos que aconteceram e das lições que ficaram continua sendo estruturada, ora por acontecimentos, ora por sentimentos, ora por fotos, ora por lembranças..."

Thereza Zm Zattar: "Não tenho palavras para agradecer a esse Nobre Colégio... sinto-me feliz e honrada por ter recebido de Deus este presente - de ter estudado no Sagrado... ter convivido com pessoas dignas, honradas... que tão bem me ensinaram o verdadeiro significado da educação - do amor a Pátria - do respeito ao ser humano - da amizade entre nós alunos e alunas. Amizade esta que nós trazemos guardados em nossos corações. Obrigada queridas Irmãs Franciscanos pelo nosso Colégio Sagrado Coração de Jesus... Obrigado minhas amigas e amigos que encontrei nesta Instituição e por terem feito parte dos lindos momentos da minha juventude...

Obrigada meu Deus por ter vivido está linda história."

Carla Sim Maia: "Eu tive aulas de Ensino Religioso com a professora Marivalda Brandes. Tínhamos que subir toda a escada para chegar na sala dela. Lá no sótão, que tinha numa foto esses dias atrás. Até hoje canto e lembro muito bem algumas músicas que ela nos ensinou. Como: Fica sempre um pouco de perfume, nas mãos que te oferecem rosas, nas mãos que sabem ser generosas, ... decorei o nome dos profetas... maiores e menores "

Ana Maria Babireski Costa: "Meu carinho especial, respeito e carinho para minha primeira professora Denise Pfau. Foi ela que com paciência pegou na minha mão e ensinou- me a traçar as primeiras letrinhas, a ler o be a ba na cartilha Sodré. A escola Sagrado, os corredores compridos, paredes altas, escadas escuras, porão a cor marrom ... pra mim recém chegada do interior tudo era assustador . Foi difícil, mas Denise com todo carinho, voz meiga e carinhosa aos poucos foi conseguindo espantar os meus fantasmas, medos... Professora Denise, que Deus te abençoe, saúde, paz. Muito Obrigada"

Oclair de Jesus: "Lembro com muito carinho da minha primeira professora - Marilu, tenho certeza que ela se lembra de mim. No meu aniversário, ela fez um bolo para comemorarmos na sala de aula, só que eu, estava de viagem, estava em Curitiba e acabei perdendo a festa. Isso mostra o carinho pelos seus alunos. No decorrer da minha infância e adolescência, eu ia na loja Sicol para dar-lhe um abraço, e sempre acabava ganhando umas balas e pirulitos. Falar da professora Marilu, é viver um passado que mantém-se vivo dentro do coração. Deus abençoe a professora Marilu, Deus abençoe a todos, foi muito bom relembrar fatos que edificaram nossa vida e caráter. Lembro do Pavilhão São José: "Foi ali, que vi pela primeira vez um jogo de futebol na televisão, colocaram uma televisão e estava lotado, mas assistimos 'o jogo da copa', era 1974."

Esther Abigayl Paul: "Com certeza, "nós educadores jamais seremos substituídoS" ainda mais por máquinas, "máquina" não transmite amor, carinho, gratidão, entre outros, em se tratando ou falando na área de música, que seria o meu "forte", pois a música une almas, sentimentos afetivos e cognitivos, como dizia meu professor Graf, a música é a arte mais perfeita que existe".

Denise Maria Moreschi: "Sagrado - lembro sim... do tempo de ir a pé para o Colégio, quando chovia, voltar pisando nas poças d'água, porque não havia calçamento e chegar 'em casa' e colocar o uniforme para secar num varal em cima do fogão a lenha, do tempo dos canos de cobre"(serpentinas), para esquentar a água, lembranças que voltaram vendo essas fotos e comentários. Lembrar-se do Sagrado e das pessoas da minha época - da Norma com Neuzeli Bora, das amigas que estudavam no mesmo colégio, como... Eline, Ancila, Norma, Roselis, Zeca... Pessoal muito legal da época. Lembrei agora da sala onde as irmãs faziam hóstias que ficava na entrada deste portão perto do ponto... Quantas lembranças... Lembrar-se das Irmãs... Na missa das 10, as alunas tinham que comparecer, e Irmã Felícitas fazia a chamada....e na segunda feira, se você chegasse com unhas pintadas, ou cabelo arrumado como se fosse à uma festa, era tirado o esmalte e o cabelo era desarrumado pelas Irmãs...uma vez, uma interna apostou que sairia com a cesta de dona Tereza, e iria no Bar Pérola, e fez isso. Lembranças de outras amigas internas... Lembro da Raquel interna, irmã Véritas, se formaram na Escola Normal em 1966, na minha turma. Minha irmã Márcia era de outra turma... Quando sai do colégio, em 1966,o pátio era assim - com grama.. Lembro também que eu também participava das Cruzadas. Quantas lembranças!! Na casa da catequese, funcionava também o cinema do Frei Eliziário.,lembram??? Um tempo que não volta mais... Tudo isso, eu vi e vivi. Roupas novas, só no aniversário e Natal - Sapatos também. Para o colégio, sapatos pretos, com 'meias brancas', e galochas para o dia de chuva. Na entrada, tinha um estrado de madeira, onde ficavam os sapatos, e galochas... Para as salas, chinelos de pano... Meu pai era da turma de 1943... Primeiro homem a se formar professor no Sagrado... Lembrei também da disciplina, das normas que deveria ser seguidas. Se na minha turma, fosse com esses adereços (muitas pulseiras - enfeites), voltava sem eles - a Irmã pegava e jogava no lixo... O Sagrado deixou tantas marcas que me lembro de fatos até hoje"

Elisa Nunes: Lembrando-se de fatos enobrecedores do Sagrado - "Dona Renate Riede foi minha professora de Educação Física do primeiro ao quarto ano -1956 a 1960. Dona Irene Schreiner foi minha professora no quarto ano primário como se dizia. Professoras muito queridas e dedicadas. James Brey - "Parabéns meu pequenino aluninho". Estou muito feliz e orgulhosa por você... Hoje este grande homem professor e diretor.Te admiro muito. Dona Olga foi minha professora no primeiro ano- Na escola Sagrado Coração de Jesus em 1956. Muito querida e alegre sempre. Tenho muitas boas lembranças. Parabéns a todos. Equipe comprometida com a educação sempre".

Regina Julieta Miranda Stiebler: "O tempo que passei no colégio, jamais saíram da minha lembrança Vocês acreditam que ainda hoje sonho que estou naqueles corredores - nas salas de aula sempre brilhando - nas suas escadarias, enfim, o Sagrado fez e sempre fará parte da minha história. Somente lembranças boas de uma infância, adolescência e juventude que não voltam mais. Mas, sempre tem um lugar reservado no meu coração."

Silvia Bley Pangratz: "Eu estudava no Curso Normal do Sagrado quando a professora Terezinha Cubas, minha vizinha, pretendia continuar seus estudos. Foi então que ela me permitiu continuar as aulas da sua turma de 35 meninas que cursavam a 3ª série primária. Foi uma experiência espetacular. Até hoje encontro pessoas queridas que me cumprimentam... sorrindo... falando que foram minhas alunas. Isto me deixa tão feliz, pois me transporta ao passado. Educar é um ato de Amor."

Leonardo Estauski Tanaka: "Eu fui aluno da Escola de Ensino Fundamental Sagrado Coração de Jesus por 9 anos... Além de estudar no público, estudava no privado também. No público era com as professoras e tínhamos as disciplinas curriculares normais. Ao estudo privado com as Irmãs tínhamos: Música, bordado, pintura em tela, idiomas e etiqueta. Em 2011 juntamente com Ir. Cármen e Renate Riede ajudei a refazer algumas traduções da crônica do colégio, cuja qual foi escrita em Alemão Suíço desde 1920 até meados de 45. Após minha formatura na escola normal, continuei mais 2 anos estudando no particular com as freiras... E aí ficou uma amizade com elas que vamos cultivando até hoje. Durante minha trajetória escolástica como um aluno normalista, fiz vários trabalhos. Desempenhando com êxito todas as tarefas, tendo como base e exemplo a frase de Madre Maria Bernarda - Meu viver é o evangelho. Várias vezes trabalhei em grêmios e fui representante de sala. Desempenhei um exímio trabalho voluntário no museu escolástico. Eu agora formado e licenciado historiador espero um dia retornar lá para desempenhar um papel importante nos dias de hoje: - Repassar cultura, desenvolver nas crianças o senso crítico e humanitário... Enfim... Eis aqui um breve resumo do que fiz naquela magnífica escola"

Cecy Allage: "No nosso tempo, tínhamos que tirar os sapatos todos os dias, e a porteira na entrada do corredor estava lá com os nossos chinelos para trocar".

Regina Julieta Miranda Stiebler: "Muitas histórias que não saem da memória!!! Que tempo gostoso onde éramos felizes e sabíamos disso. Sempre em minhas lembranças!"

Elisabete Wojciekowski: "Estudei no Sagrado desde o primeiro ano até completar o magistério. Fui muito feliz e sinto saudades dos bons tempos!"

Marilene Cador: "Doce saudade... Doces lembranças! Nosso Colégio Sagrado Coração de Jesus... Magistério (1973). O mundo estava em nossas mãos. Companheiras, humildes... Iguais ... Éramos nós... Saudades sim, tristeza não. Não esquecendo daquelas queridas que já estão ao lado de Deus, e que muitas alegrias compartilhamos ao seus lados .Felizes somos nós, pois vivemos..."

Janete Woitexen: "Para mim, ter estudado no Sagrado fez toda a diferença em minha vida. Guardo lembranças maravilhosas daquele tempo e os aprendizados foram muitos, não só em relação aos conhecimentos que naqueles bancos escolares adquiri, mas também pelos valores morais e espirituais que me foram transmitidos. Tive professores e colegas maravilhosos e ainda hoje cultivo amizades daquela época. Só tenho a agradecer por fazer parte da história do Sagrado, assim como ele faz parte da minha vida".

Janaina Vesaro : "O Sagrado foi a primeira escola em que eu entrei pra aprender várias matérias e disciplinas e respeito aos professores. Eu tenho muito a agradecer esses profissionais com os quais eu aprendi a fazer as lições de casa - me ajudando na dificuldade ou não. Mas eu tenho tanto orgulho em ter sido uma aluna nessa escola que eu jamais esquecerei - jamais esquecerei do que passei por ali. Quem sabe eu possa entrar no Sagrado - só pra lembrar o que eu vivi com muita alegria e satisfação e minha vida. Muito obrigado ao 'Sagrado' por ter existido em minha vida de infância. Eu sinto falta desta escola".

Marlene Ludka Melo: "Difícil descrever em poucas palavras a minha gratidão por todo esse reconhecimento. Nesses 34 anos dedicados a Educação cresci muito como profissional e principalmente como pessoa. Pois aprendi que educar é um ato de amor, que trouxe como referência dos meus pais. É fundamental na construção da história de cada pessoa que ela seja pautada pelo respeito ao próximo e o tempo de aprendizagem de cada criança, Eu construí minha história na troca diária com alunos e parceiros de trabalho, aos quais agradeço imensamente por me permitirem fazer parte de suas vidas. Sigo o meu caminho levando no coração a sensação de dever cumprido e a certeza de que juntos somos mais. A palavra que resume tudo isso é e sempre será gratidão."

Marcia Regina de Barros: "Comparar nosso Sagrado a algo grandioso - Creio ser difícil, mas com toda certeza saíram daí grandes homens e mulheres que construíram grandes obras, pois nosso ensino, nossa educação sempre foi maravilhosa... com disciplina e religião e que fizeram seus filhos como grandes pessoas e suas obras maravilhosas. Obrigada meu querido Colégio".

Adriana Correa Yamasaki: " Trabalho no Sagrado desde 2006, como Assistente técnica Pedagógica. Na época em que ingressei as Diretoras eram Laureci Fatima Fuc K e Marcia Bechel de Souza. Nesta escola querida em que fui aluna e hoje exerço minha profissão, vivi muitas histórias e projetos que me proporcionaram muitas realizações e alegrias. Muitas amizades, muitas ideias e concretização de muitos sonhos profissionais. Me sinto muito feliz e realizada por fazer parte da equipe da Escola Sagrado que dia a dia edifica seu nome e tradição na história da educação catarinense".

Regina Julieta Miranda Stiebler: "Desde o 1°ano até a escola Normal - estudei no "Colégio Sagrado Coração de Jesus. Quantas lembranças boas... Histórias que ficam em nossa memória. A capela, as horas cívicas, o anjo que nos abraçava com tanto encantamento em nossas imaginações infantis. A sala dos professores... inesquecível (minha mãe era professora) desta maneira eu podia entrar ...mas para nós crianças, era um lugar muito especial... Irmã Nívea e suas aulas de música no piano. Ouvia uma voz que falava parando o piano e no meio da música escutávamos (Miranda e Companhia) quietas! ...rsrsrs - Irmã Angélica e sua letra linda que inspirava a todos. A cozinha, um lugar para desbravar. E as escadas que alegres deslizávamos. A maçã no dia das crianças... Os corredores que dava para o quarto das "freiras"...Momentos especiais, difícil de nomeá-los. Uma linda história para contar".

Carmen Lucia Carnieri: "A minha escola, lugar que tanto me fez bem e que é referência valiosa na construção do meu eu, tornou meus olhos maiores e meu coração mais humano. Aprendi a ver além do que meus olhos míopes viam?aprendi a respeitar o outro e a sentir suas necessidades. Era o meu mundo encantado...meus duendes inesquecíveis, Teodorinha, d. Tereza, Irmã Noeli, Irmã Epifania, Irmã Carmen ...entre tantos! Hoje já não é a minha escola! " ...consagrou-se sagrado..." perpetua-se na memória, no tempo, na história de Canoinhas! É a nossa escola! Estou feliz!"...

Magrit Neumann: "Iniciei no Sagrado em 2005, quando assumi o concurso para professora de história. Tenho a lembrança que não havia aulas em outras escolas, somente no Sagrado. Sabendo disso, fiquei com dúvidas em assumir essas aulas, pois a escola sempre foi muito conceituada no município pelas suas exigências, normas, regras.... Eu achava que não conseguiria atingir as expectativas desse educandário. Mas junto comigo estavam duas amigas Leila e Leocádia, que também tinham assumido aula. Elas me deram o maior apoio para assumir as aulas e foi o que fiz. Na direção estavam às donas Laureci e Márcia, pessoas maravilhosas que sempre me auxiliaram em todos os momentos. Nesse local fiz muitas amizades com professores outros funcionários da escola. O que dizer dos meus alunos? São muito queridos e estudiosos. Tenho um imenso carinho por todos os alunos e ex-alunos. São ótimas lembranças que tenho de todos. Vários trabalhos realizados como teatros, danças das décadas, maquetes do Egito e período feudal, telejornal, jogos e outros... Onde os alunos demonstravam seus dons. Amo ensinar, passar o conhecimento para os meus alunos."

Marinês Maria Maiéski Kaschuk: "Trabalho nessa conceituada escola desde o ano de 1996, até os dias de hoje. Estudei desde o primeiro ano do ensino fundamental até o terceiro ano do magistério. Fiz parte da última turma que se formou no "magistério do Sagrado". No total, já fazem 34 anos que faço parte dessa escola...uma vida quase inteira. Passei momentos inesquecíveis, com pessoas maravilhosas. Tive muitas perdas também...alunos que faleceram, professores que se foram do nosso convívio... Fiz amizades para a vida inteira, com colegas especiais. Me sinto realizada profissionalmente, pois tenho o carinho e o reconhecimento dos alunos e ex alunos. Acredito que dei conta do recado de "ensinar matemática" com um jeito carinhoso, mas com muita garra e dedicação. Sendo exigente, mas também amiga e brincalhona. Sinto que cumpri minha missão e daqui a algum tempo, estarei me aposentando com a certeza de que fiz a diferença na vida de muitas pessoas que conviveram comigo (colegas e alunos ). Só tenho a agradecer de poder fazer parte da história do Sagrado, escola que mora e sempre ficará em meu coração. Nunca esquecerei um fato que marcou para sempre a minha vida nessa escola: o dia em que a diretora Laureci Fatima Fuc K se dispôs a ir fazer uma visita comigo ao meu pai que estava na UTI. Chegamos lá e ele tinha acabado de falecer. Seu ombro amigo ficou para sempre gravado na minha memória. Fazíamos parte de uma família na escola... nosso convívio ia além do profissional. Tenho muitas saudades de professores que já se aposentaram e deixaram também sua marca nessa escola. Tenho até hoje guardada a pasta que me deu com desenhos de matemática que meus alunos fizeram e você criou um texto em cima e me deu de presente. Simples gestos que representam um carinho enorme pela pessoa que convive ao seu lado e que levaremos para a vida inteira. Lembro também da querida Fátima Santos...íamos na praça com os alunos fazer desenhos...ela artes e eu geometria. Um casamento perfeito, uma troca de experiências entre disciplinas. Tudo na vida passa e o que ficam são lembranças que espero, sejam eternizadas em nossa memória ".

Luciane Boeing Soares: "Durante o tempo que permaneci na sala de aula no Sagrado as diretoras eram inicialmente Regina Weinert. Depois Laureci Fatima FucK. 1984 até 2013. Sempre lecionei a disciplina de História na qual sou apaixonada até hoje. Minhas aulas eram sempre interativas no relacionamento professor /aluno. As encenações eram frequentes para chegar o mais perto da realidade. Alunos com dificuldades na escrita se manifestavam oralmente. Inclusive dando oportunidades aos diversos alunos com dificuldades de livre acessibilidade pelos livros, carteiras, e provas escritas, os vídeos traziam a autenticidade e a facilidade de aprender. Viajávamos pelas diversas regiões desde a pré-história até os dias atuais. Quando chegava a segunda feira os alunos vinham logo perguntando qual seria a sequência da aula anterior, pois tinham uma facilidade em assimilar conhecimento através das explicações dos atores e posteriormente minha. E certamente os resultados eram positivos. Não poderia citar um aluno ou outro pois cairia de esquecer alguns pois são por se dizer mais de 10 mil. Tenho muitas recordações de cada um que passou pelas salas de aula de quintas a oitavas séries. Dos mais estudiosos aos que faziam de tudo para chamar atenção. Lembro bem de cada detalhe daria para escrever um livro. Muitas aulas passavam muito depressa que não dava pra terminar a explicação e outras nem começava pois tinha antes que resolver algum conflito. Tenho aqui em casa um dvd de um trabalho que fiz com as oitavas series (4). Recordar é viver. Onde cada grupo preparou uma década: dançaram e contaram como viviam as pessoas neste período. Depois fizeram uma exposição para visitação da comunidade escolar. Foi muito gratificante e para os alunos incrível. Foi no ano de 2008."

Leila Cristiane Lima: "Eu trabalhei até 2017 na escola sagrado e tive a oportunidade de conviver com a gestão desse diretor. Ele merece todas as homenagens feitas por todos nós porque sua maneira de conduzir a escola é maravilhosa e muito competente. Também trabalhei na gestão da dona Laureci Fatima Fuc K. Outra pessoa digna de ser homenageada pois era muito humana e abençoada por Deus. Vejo que a escola é maravilhosa por ter tido, e por ainda ter pessoas sérias no comando. Sinto muito orgulho de um dia ter trabalhado nesse lugar abençoado. Abraços apertado a todos que fazem parte da história do nosso Sagrado Coração de Jesus."

KelyJurevicz - Professora de Geografia: "Trabalho no Sagrado desde 2014, quando mudei para a cidade de Canoinhas para assumir o concurso para professora de Geografia. Recordo-me que na escolha do local em que iria trabalhar, fiquei em dúvida devido ao fato de não conhecer nenhuma das escolas, pois não era daqui. Tomei a decisão pelo nome que mais me agradou: Sagrado Coração de Jesus. Quando fui conhecer a escola em que iria trabalhar, fiquei impressionada com sua arquitetura, simplesmente encantadora! A primeira pessoa com quem tive contato no ambiente de trabalho foi a dona Jô, a qual me recebeu de braços abertos e então eu tive a certeza de ter feito a escolha certa! Fui muito bem recebida por todos que ali trabalham: professores, pessoal da secretaria e setor pedagógico, Diretor James e Assessora Arlete, todos extremamente competentes no que fazem. No Sagrado conheci pessoas que fazem toda a diferença em minha vida, não tenho apenas colegas, mas amigos, pessoas que considero da família! E o que falar dos alunos? Ah, são os melhores! Cada um deixando sua marca em minha vida! Procuro despertar em cada um deles a capacidade de observação do mundo de forma crítica, para que possam atuar na sociedade exercendo seu papel de cidadão.

A Escola Sagrado Coração de Jesus é minha segunda casa, eu amo trabalhar neste lugar!"

Veroni Gavasso : "Trabalhei no Sagrado em 2013, ano maravilhoso tendo a companhia de profissionais maravilhosas...

Lembro do sofá preto de canto na sala dos professores onde no recreio sentávamos e se o sofá falasse afff...quantas risadas e histórias. Tempo maravilhoso! "

Ana Stein: "Trabalhei no Sagrado como professora de História no Ensino Fundamental e no Ensino Médio. Trabalhei de 1993 até 2002.Escola querida, ela qual tenho um carinho enorme pois aprendi muito nesse estabelecimento e também fiz muitos amigos nesta escola maravilhosa. Muito orgulho em poder fazer parte dessa História."

Ana Paula Ziemann: "Vivi um período bem intenso da minha vida pessoal nos anos de 1993 e 1994 quando lecionei no Sagrado! Na direção estavam a irmã Tereza e a Regina (1993) e Regina e Goreti (1994). Em 1993 perdi minha mãe e fui ternamente acolhida pela família Sagrado - em especial a orientadora Firmina!!!! Em 1994 pude dividir o início da gravidez com colegas muito especiais. Quanto a ex-alunos tenho muito orgulho de vários.... Muitos são meus amigos pessoais e bem próximos!!!!! Outros tantos foram meus colegas de trabalho e sou cliente de outros tantos que se tornaram profissionais competentes e valorosos!!! Feliz e Grata por fazer parte dessa história!"

Ilvane Kuchler: "Comecei a trabalhar no Sagrado em 2004 ,a primeira pessoa com quem conversei foi com a prof. Teresinha , mais tarde nos tornamos amigas , aprendi muito com a Fátima Santos, grande amiga também, Lenita Fuck que vinha aqui em casa ver meus filhos enquanto eu cuidava do meu marido, Laureci Fatima Fuck Ana Maria Babireski Costa / Marilda Muller Langer - que também me ajudaram nessa época...o profissional se mistura com a amizade ,fiz muitas...na escola adoro o que faço, estou sempre envolvida em projetos ,são uns 600 alunos por ano ,muitos me marcaram ,me mudaram ,vejo eles crescidos trabalhando me sinto orgulhosa".

Débora Vaz Jenzura: "Meu nome: Débora Regina Vaz Jenzura

Professora no Sagrado desde 2002 até 2014 (anos alternados) mas sempre nesta escola do estado. Durante esses anos meus diretores foram: Cleceria Balluta. Evelin Schelbauer Muller / Maria Goreti Kuminek/ Laureci Fatima Fuc K e Marcia Bechel de Souza... Em seguida James Brey e Arlete Wunsche. Ótimos Diretores por sinal - Sempre atenciosos e prestativos. Na pergunta a que se refere se existiram alunos que marcaram minha vida comento que foram "vários "- alguns ficaram na memória... Essa escola é onde sempre tive o orgulho de ter estudado e de ter lecionado até hoje - durante muitos anos. O que eu sinto falta?deixou saudades...principalmente são as amizades que ali fiz, e permacem até hoje. Minha filha Mylena ainda é estudante no momento e adora muito. Como é bom reencontrar amigos e ex alunos onde ainda te chamam de profe. E nos enchem de orgulho quando já estão adultos e bem-sucedidos. Só tenho a dizer a família Sagrado o meu muito obrigada. Sinto saudades de vocês".

Marilene Cador: "Saudades sim... Tristeza não... Neste abençoado Colégio Sagrado Coração de Jesus... passei os melhores anos da minha vida, precisamente 12 anos. Fiz dele minha segunda casa. Gratidão aos professores... gratidão para com as amigas, que compartilhamos juntas esta jornada."

Viviane Maria Jenzura: "Lembranças maravilhosas, amigos guardados no coração para o resto da vida. É um grande privilégio, muita gratidão por fazer parte deste momento histórico. Saudade imensa!"

Márcia Fink: "Trabalhei como segunda professora em 2010 e 2013 ,assim que me efetivei pedi remoção pro Sagrado uma escola abençoada minha segunda casa. Este é meu último ano, me aposento ano que vem. Mas lendo este texto relembrando tenho mais certeza do dever cumprido. Os alunos, a escola os amigos que fiz serão sempre a certeza de que vale a pena ensinar e aprender sempre. Obrigada!"

Fernanda Isfair: " Fui muito feliz como aluna e como professora nessa escola."

Laurici Abuda: "Obrigada pela belíssima homenagem! Carrego em meu coração a lembrança de cada um de vocês. Jamais esquecerei tamanho acolhimento que recebi na unidade escolar, vocês fizeram diferença na minha vida! Com certeza somos mais que colegas profissionais, somos amigos que podemos contar para todo momento. Saudades de todos, grande abraço."

Rafael Ziger: "Que bacana lembrar desta turma! Saudades do colégio e deste grande corpo docente, não só professoras de conteúdo, mas de educação e referências para a vida toda. Grato por cada dia ao lado de vocês!"

Kamyla Maieski: "Com toda certeza o sagrado é uma escola que vai ficar para sempre no meu coração!"

Mariana Erhardt Rodrigues: "Amo fazer parte da família Sagrado ! E só tenho a agradecer e a me emocionar com as saudades! Obrigada por tudo! "

Larissa Do Valle: "Em 2004 cursei a 8° série (8°18) e na época, ele era nosso professor de educação fisica. O Sagrado até então, pouquíssimas vezes participou do "moleca boa de bola" um campeonato de futebol de campo para crianças entre 13 e 14 anos, os meninos do Sagrado na maioria das vezes eram campeões, mas as meninas não tinham o costume de jogar futebol, dificilmente as meninas passavam da primeira fase desse campeonato. O professor James nos treinou tão bem, mas tão bem, que chegamos à final. Perdemos de 2x0 mas foi com gosto de vitória, pois chegar à final com um time que antes não tinha se quer noção de futebol foi muito gratificante. Obrigado por ter vestido a camisa de professor! "

Neuzeli Gruber: "Boas lembranças e amizades desse Sagrado, 8 anos de convivência e aprendizado lá, sinto uma gratidão imensa por esse Colégio, pelos aprendizados e pelos mestres e colegas que marcaram essa fase de minha vida!"

João Paulo Borchardt: "A Professora que marcou na minha vida foi a professora Marilda Alberti Sheuer - uma pessoa que através dos seus ensinamentos diários soube colocar em cada um dos seus alunos 'a coragem' e ensinou compartilhar os pequenos momentos e os grande momentos da vida e também ensinou a seus alunos 'a ser o outro' e se colocar 'no lugar outro' diante de conflitos e dificuldades - para não julgarmos...mostrando que nos pequenos atos e nas boas ações poderemos superar os desafios diários da vida .... Agradeço muito de ser o aluno da 4ª 6 - Professora Marilda."

Jonny Glaci Wittlich: "Vendo de fora e ex aluno do sagrado eu vejo com bons olhos o trabalho executado pelo James Brey,é muito competente na direção da escola e acho que o sagrado está em boas mãos ,aliás ao passar dos anos essa escola sempre teve bons diretores e muito competentes no que fazem, parabéns James continue assim com muita responsabilidade conduzindo essa escola ,que para mim é a melhor escola de canoinhas

Ana Stein - Cleceria uma pessoa incrível. Fomos regentes das terceiras do Ensino Médio em 1997 e viajamos por uma semana com mais de 40 alunos, pensem numa viagem maravilhosa e nuns alunos parceiros pra tudo."

Luiza Maria Preissler: "Sagrado - Lembro-me bem como era. Quando chovia, a gente ia deslizando pelo caminho , de galocha e , levava outro sapato , se precisasse trocar , isso porque tirávamos o sapato na porta do corredor e colocávamos o chinelo , que nos aguardava no quartinho que pertencia à cada turma."

Adilson Fontana: "Eu estudei no Colégio de madeira na parte de cima no 5º ano - nossa professora foi Dona Maria Eugenia Ferreira - no ano de 1954; Comecei no jardim de infância com a irmã Cacilda, depois foi a irmã Graciema, no 3º ano foi a irmã Osmunda e 4º ano 'não me lembro'". As lembranças são enobrecedoras feitas na infância, faz muito bem a alma e ao coração lembrar.... Quando eu podia brincar muito e os aprendizados eram grandes. Parece que todo tempo vivido martelam em minha cabeça sempre, fazendo-me lembrar de que eu fui muito feliz no meu passado, pois tinha meus pais por perto, meu aconchego do lar. Eu lutei contra o tempo para não crescer, mas não teve jeito. Meus brinquedos ficaram velhos, alguns lapsos tomaram conta das minhas lembranças e de repente a saudade tomou conta de mim. É, eu já não sou mais novo, mas nunca esquecerei os melhores momentos que vivi na minha infância. A escola era realmente um lugar bom, do qual além de me ensinar os conteúdos das matérias, ainda me mostraram muito de como seria a vida e como eu deveria ser quando crescesse. Que saudade daquele tempo em que os amigos se reuniam na rua, brincávamos de pular corda, ciranda, bola, passa anel, pião, soltar pipa, ficar perto da fogueira, chutar bola na rua, ficar contando histórias de fantasmas até horas da noite e tudo era bom - me fazia feliz. As horas voavam em um piscar de olhos e valia muito. Ser criança é a melhor coisa, você se diverte com pouco, tudo é festa, motivo de comemoração e histórias para contar aos amiguinhos. Cada livro nos proporciona uma nova viagem e os contos de fadas parecem reais. Nada então é mais maravilhoso do que se imaginar quando crescer e poder a cada novo dia testar uma profissão diferente, vestindo as roupas dos pais e irmãos e montando diversos cenários que começam primeiramente na imaginação. Infância boa é aquela que tem gosto e cheiro, que dá saudade e que só de lembrar-se daquele bolo feito pela avó já da água na boca. É quando os tombos, joelhos ralados e braços quebrados não tivessem doído tanto assim e valessem a pena ser revividos, se fosse possível retornar ao tempo e refazer aqueles dias, pois o corpo ralado parecia que doía menos que as decepções de vida adulta. A escola foi tão importante para mim - nela fui embasado de aprendizagens sobre ter bons princípios e bom caráter... Ter família, ser grato, ser educado, ser gentil, ser gente da paz e do bem, edificante de obras significativas. E assim fui me aprimorando e crescendo... Quando então conheci minha amada esposa, casamos e formamos uma maravilhosa família de filhas, filhos, netos (as)... A família sempre será um grande alicerce na vida de todos nós - família Fontana. Em nossa família - em nosso relacionamento que temos com os nossos entes mais próximos tomamos providências para que sejam sempre cuidados e alimentados. Por mais que possa haver diferenças e, às vezes, até alguns desentendimentos, família é uma parte da história de cada um que deve ser honrada diariamente, pois é ali que tudo começou. Somos o reflexo daqueles que vieram antes de nós, fazemos parte deste sistema e quanto mais positivo e equilibrado ele for, melhor será também a qualidade da nossa relação familiar. Grande parte do que se tem hoje tem a influência direta da família que, através de erros e acertos, contribuiu com o desenvolvimento pessoal. É importante dizer que esses erros certamente tinham por trás uma intenção positiva de acertar e, de alguma forma, trouxeram algum tipo de ensinamento. A minha família oferece aos seus - suporte e segurança; Promove o Bem-estar Emocional, os mais velhos dão exemplo de Conduta; Ensinamos a Lidar com as Diferenças, pois na mesma família - vindos do mesmo pai e mãe - há diferenças; os mais novos pedem opiniões aos mais velhos e se deixam influenciar na tomada de decisões para haver acertos. Assim com algumas regras e limites propostos pelos membros da família vamos vivendo o 'dia a dia' - 'juntos' - 'esperançosos' - 'com trabalho' - 'dedicação' e 'muito amor'. É importante dizer que nenhuma família é perfeita, assim como nenhum ser humano também não é. Somos todos indivíduos que tentam, acertam, erram, aprendem, recomeçam. E até nas imperfeições uma família pode ensinar lições poderosas a uma pessoa, a de que é normal falhar e que é através dos tombos que vem o aprendizado, amadurecimento, crescimento e o desenvolvimento. Então prezado leitor, aluno, membro deste grupo... O conselho que dou aqui é que honre a sua família, perdoe falhas que possam ter sido cometidas e não permita que ressentimentos te impeçam de viver essa bonita relação em plenitude. Sua família é o seu bem maior, valorize-a e não permita que a correria do dia a dia te impeça de conviver com os seus entes queridos. Estar entre aqueles que o conhecem desde que chegou ao mundo irá te fortalecer e fazer de você um ser humano cada vez melhor. Aproveite seus momentos em família! Aproveite a escola que lhe abrirá caminhos, iluminará sua mente, carregará sua bagagem cultural! Aproveite seus professores, tire as dúvidas com os mestres, cultive boas atitudes e bons hábitos, 'viva plenamente', não desobedeça ao pai e nem a mãe... E nem a professora! Seja muito feliz!"

Kely Jurevicz: "Quando fui conhecer a escola em que iria trabalhar, fiquei impressionada com sua arquitetura, simplesmente encantadora! A primeira pessoa com quem tive contato no ambiente de trabalho foi a dona Jô, a qual me recebeu de braços abertos e então eu tive a certeza de ter feito a escolha certa! Fui muito bem recebida por todos que ali trabalham: professores, pessoal da secretaria e setor pedagógico, Diretor James e Assessora Arlete, todos extremamente competentes no que fazem. No Sagrado conheci pessoas que fazem toda a diferença em minha vida, não tenho apenas colegas, mas amigos, pessoas que considero da família!

E o que falar dos alunos? Ah, são os melhores! Cada um deixando sua marca em minha vida! Procuro despertar em cada um deles a capacidade de observação do mundo de forma crítica, para que possam atuar na sociedade exercendo seu papel de cidadão. A Escola Sagrado Coração de Jesus é minha segunda casa, eu amo trabalhar neste lugar!"

Toni Romanhuki: "A gente acha que nunca vai sentir saudades da escola né? Hoje eu acordei no meio da noite 'DESESPERADO', porque eu estava atrasado para a aula e tinha prova de física, sim, eu sempre tive pavor dessa matéria e também do professor. Acho que o maior período que passamos na escola - ficamos tão vidrados em como vai ser nosso futuro que acabamos esquecendo-se de aproveitar aquele momento ali, os amigos, as poucas responsabilidades, a merenda da escola, os micos nos dias de festas juninas, apresentações, gincanas, do grupo de dança da escola, da viagem, das apresentações, dos ensaios. Hoje muito dos meus colegas da foto, estão formados, se formando, trabalhando, casados, morando em outra cidade.... Alguns mudaram muito, outros pouco mudaram, e nosso querido João que não está mais entre nós, vocês entendem como nossa vida muda em fração de segundos? Eu lembro de como a amizade dos meninos comigo, por ser assumidamente gay refletia nas outras pessoas, a gente tinha um carinho imenso um pelo outro. Chegou um momento que ficou tão natural pra eles, que eles me diziam bom dia/tarde com beijo no rosto, abraço. Todos os professores marcaram a minha vida de alguma forma, mas alguns foram essenciais para que eu me tornasse a pessoa que eu sou hoje. Alguns me escutaram em momentos difíceis, me deram auxílio enquanto eu vivia conflito comigo e com a minha sexualidade. Minha professora Luci Damaso da Silveira e eu sempre debatemos muito, isso me ensinou a ter a minha própria opinião. A prof. Joelma Medeiros foi uma das poucas que conseguiu me fazer entender um pouco sobre matemática. A prof. Lenita Fuck, sempre nos ensinando a como escrever uma super poesia, às vezes fazia com que a gente olhasse pelos janelões que o sagrado tem e viajasse naquele céu azul pra escrever nossos poemas. A doçura da professora Carolina Carvalho, sempre fez com que eu gostasse um pouquinho mais de arte, porque eu sempre detestei desenhar. Às vezes da saudade da ingenuidade da cidade pequena, de sair na rua e esbarrar com todo mundo, de marcar um lanche no Bruda, ou comprar uma coca e ficar sentado na praça jogando conversa fora como nos velhos tempos. Eu hoje sou um homem feito, já assumi a responsabilidade de cuidar de uma casa, tenho meu trabalho e estou em constante evolução artística. Moro em uma das cidades mais perigosas do nosso país, e tudo que sou hoje, tem um pouco de cada um de vocês que passaram na minha vida, alguns nem tenho registro, mas sabe o quanto mudaram minha vida. Eu desejo que a vida, a família e o caminho que vocês estão construindo, seja de muita luz e prosperidade. Nunca achei que diria isso, mas eu gostaria de voltar no tempo, pra aproveitar um pouco mais o que a adolescência tem a nos oferecer. Deus os abençoe".

Radin Anita Radin: "Lindo. Muito lindo. Lindíssima a trajetória do Sagrado! Parabéns a todos (as) pessoas que de forma diferente fizeram parte na história desse Educandário! "

Doris B. Stringari: "Parabéns pelos 100 anos! Saudades do tempo que estudei nesse Colégio Sagrado Coração de Jesus. Foram 9 anos de muito aprendizado! "

Sirlei Kopicz: "Parabéns pelo centenário. "

Rachel Muller André: "Tenho lindas lembranças que jamais esquecerei. Estudei de 1963 ate1966, quando mudei de cidade. Guardo comigo por toda vida recordações inesquecíveis! Tive ótimas professoras! A primeira fica pra sempre na memória e no coração. A irmã Cacilda muito querida. Cultivo até hoje grandes amizades! Deixo meu abraço carinhoso por fazer parte desta belíssima escola! Viva! Parabéns! "

Maria De Lourdes Brehmer: "O Sagrado é leitura eterna! "







CN Online -Lateral.jpg





site cópia não autorizada.png


JORNAL CORREIO DO NORTE - Rua Três de Maio, 364, Centro, Canoinhas-SC - (47) 3622-1571 - Whats: 47 9 8865-7880

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio do Norte