,

IFSC Canoinhas dá início a Simpósio de Humanidades com foco na Educação

29 Agosto 2017 14:43:00

A programação completa, com as palestras, oficinas e mesas-redondas, pode ser conferida nas mídias sociais do Câmpus e no aplicativo para celular Android, disponível na Play Store do Google

Com assessoria
Foto: Assessoria de Imprensa
Evento começou na segunda-feira, 28, e segue até quarta-feira, 30

CANOINHAS - Nesta semana, o Câmpus Canoinhas realiza o II Simpósio de Humanidades. São três dias para discutir o tema "Educação no Brasil: Desafios para a formação de sujeitos críticos". A programação completa, com as palestras, oficinas e mesas-redondas, pode ser conferida nas mídias sociais do Câmpus e no aplicativo para celular Android, disponível na Play Store do Google. 

 Durante a abertura oficial, na noite desta segunda (28), estavam presentes o diretor de Ensino do IFSC, Orlando Rogério Campanini, a diretora do Câmpus Canoinhas, Maria Bertília Oss Giacomelli, e o coordenador do evento, Joel José de Souza.

 "É um espaço que nós conseguimos oportunizar para trabalhar esse tema e a possibilidade de ampliar a formação de nosso aluno como cidadão", explica o professor Joel, sobre a importância da realização dessas discussões para os jovens estudantes.

 O destaque da abertura foi a homenagem prestada à professora Cristina Duda de Oliveira, falecida na última sexta (25). Após um minuto de silencio, foram chamados os estudantes do curso técnico integrado em Alimentos para apresentações culturais. Os alunos Henrique Pereira Guimbiski e Leonardo Luiz Urbanek cantaram sucessos de Tom Jobim e Caetano Veloso e a aluna Julia Schumacher Sobczack encantou o público presente com som de violoncelo.

Mesa-redonda

Após as atrações, teve início a mesa-redonda de abertura do Simpósio. O Tema "Educação no Brasil: desafios para a formação de sujeitos críticos" foi discutido pelas professoras Olinda Evangelista, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e Mônica Ribeiro da Silva, da Universidade Federal do Paraná (UFPR). A mesa foi coordenada pelo professor Joel.

 "Para qualquer cidadão, interessa saber os rumos que o Brasil vai trilhar", citou professora Mônica. Ela comentou sobre a Reforma do Ensino Médio, explicando o significado desta lei e seus prejuízos para o Brasil e para os jovens que estão nas escolas, especialmente para os institutos federais.

 A professora Olinda discutiu o tema geral da política educacional, como ela vem sido conduzida pelo atual governo e os efeitos dessa política sobre a formação da juventude e dos professores. "Os jovens são os nossos filhos sociais e, por eles, nós precisamos lutar sempre", enfatizou.

 A programação do II Simpósio de Humanidades tem ainda mais duas mesas-redondas. Nesta terça (29), o tema é Escola para quê(m)?, com os palestrantes Davis Moreira Alvim, do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), e Ana Maria Said, da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

 Já a mesa-redonda de quarta (30), último dia do evento, terá o tema Educação e diversidades, debatido pelo militante dos Direitos Humanos, Jorge Senna, Izabel Rizzi Mação, da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), e Emerson Martins, da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS).


Imagens




correiodonorte





site cópia não autorizada.png

JORNAL CORREIO DO NORTE - Rua Três de Maio, 364, Centro, Canoinhas-SC - (47) 3622-1571 - Whats: 47 9 8865-7880

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio do Norte