capa logo2.png
Lamentável

Ministério pede modernização de Cervejaria

09 Março 2016 09:10:00

Órgão quer a adequação da produção de acordo com suas normas

Priscila Noernberg
Foto: Divulgação

A história e a cultura canoinhense foram desrespeitadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Em 16 de novembro do ano passado, fiscais do órgão notificaram a Cervejaria Canoinhense e exigiram “a adequação da produção” da bebida de acordo com as normas do Ministério. As cervejas são produzidas da mesma forma e com os mesmos equipamentos há mais de um século no estabelecimento.

O produto artesanal ainda hoje é feito como na época em que seu Loeffler era vivo. Desde que ele faleceu, há cinco anos, dona Gerda cuida do empreendimento. Aos 91 anos, é ela quem atende muitas vezes os fregueses em um dos poucos pontos turísticos que o município ainda preserva. Gerda recebeu com tristeza a notificação do Ministério, mas argumenta que a família busca uma forma de viabilizar a continuidade da tradição.

A justificativa do Ministério é que a maneira como a cerveja é feita pode gerar contaminação: “a produção é uma riqueza histórica e cultural de Canoinhas e é lamentável que estejam fazendo isso com a Cervejaria”, destaca Viviane Bueno, gestora da Fundação Cultural Helmy Wendt Mayer. A família pediu à Justiça um prazo maior de adequação a fim de garantir a continuidade da produção.

 

Queijo em Blumenau

Não é somente a cerveja artesanal que está na mira do Mapa. Em Blumenau, por exemplo, produtores rurais não podem comercializar o Kochkäse, um queijo cozido feito em casa. Para manter esta cultura, especialistas, estudiosos e produtores, através de uma parceria entre o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Furb e a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), começaram a busca pela regulamentação no ano de 2009, na intenção de obter o registro como bem imaterial do Kochkäse. Atualmente eles também almejam o selo de Indicação Geográfica (IG) que, entre outros critérios, permite a comercialização do produto na região registrada. Aqui no Planalto Norte Catarinense, várias entidades buscam o selo da IG para preservar o processo artesanal da erva-mate.

Por este motivo, a Fundação Cultural está buscando a defesa desta produção artesanal da cerveja canoinhense. “A valorização daquilo que é regional é importante para que as tradições não desapareçam com o tempo e continuem presentes nas próximas gerações”, argumenta Viviane. 


correiodonorte




site cópia não autorizada.png


JORNAL CORREIO DO NORTE - Rua Três de Maio, 364, Centro, Canoinhas-SC - (47) 3622-1571 - Whats: 47 9659-4455

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio do Norte