,
SANEAMENTO

Presidente da Casan ouve demandas regionais

03 Maio 2018 16:30:00

Em visita à agência de Canoinhas, Adriano Zanotto destacou desafios e investimentos e falou sobre a tarifa de esgoto que vem sendo alvo de reclamações

THAÍS GUIMARÃES
Foto: Thaís Guimarães
Desde o dia 6 de abril à frente da empresa, Zanotto vem percorrendo o Estado para conhecer as demandas dos municípios

Canoinhas - O novo presidente da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), Adriano Zanotto, esteve em Canoinhas na última quarta-feira, 25, em reunião com profissionais da agência local e da região. Desde o dia 6 de abril à frente da empresa, Zanotto vem percorrendo o Estado para conhecer as demandas dos municípios, e falou ao CN sobre investimentos, desafios, rede de esgoto e a tarifa que vem sendo alvo de reclamações.

Zanotto encara como um desafio sensibilizar os consumidores a fazerem a ligação à rede de esgoto. Em Canoinhas, a primeira etapa do sistema começou a funcionar recentemente e, desde então, cerca de 800 ligações das mais de 2 mil residências abrangidas já foram realizadas - o número é positivo, na avaliação da agência local. Por aqui, o problema é com o custo da cobrança - de 100% sobre o valor da água - que a população não aprova.

A empresa argumenta que a tabela tarifária de Santa Catarina é definida pelas agências reguladoras, e o valor leva em consideração o alto custo de operacionalização do sistema de esgoto. Questionado pela reportagem a respeito da condição que empresas de outros estados têm para cobrar uma porcentagem menor, Zanotto argumentou que Santa Catarina vive uma situação em que vários municípios saíram do sistema, que é contributivo e, portanto, impacta para as demais cidades. "Há municípios que são deficitários para que funcione sua estrutura e há outros que são altamente preparados em saneamento, e um tem que ajudar o outro. O custo tem de ser rateado entre todos de uma forma igualitária", argumenta.

Mesmo havendo mobilização do Procon e da Câmara de Vereadores, a companhia não demonstrou possibilidade de rediscutir esse valor. "Pode parecer agressivo falar em dobrar o valor da conta de água, mas a população se adapta, alem disso, esse valor representa menos do que muitas outras coisas supérfluas, e estamos falando de uma questão de saúde pública", disse Zanotto. O presidente, no entanto, falou em analisar a questão de taxa social mediante a necessidade de superar uma possível dificuldade apontada em alguma região.

Demandas

Problemas com falta d'água não têm sido mais tão recorrentes na região, na avaliação do presidente a partir das informações trazidas pelas equipes dos municípios, com exceção do município de Timbó Grande, que enfrenta algumas situações a serem resolvidas. Algumas demandas referentes a materiais utilizados nos serviços também foram apontadas pelos colaboradores, a serem considerados pela companhia. Zanotto mencionou o índice de eficiência de 93% no atendimento das demandas de Canoinhas no último mês, o que considera satisfatório, e disse que o lançamento de um aplicativo da Casan para smartphones deve agilizar o atendimento a problemas informados pelos consumidores.

Investimentos

O atual contrato de programa da Casan para a região largou com quase R$ 30 milhões em investimentos, destinados à primeira etapa da rede de esgoto. Zanotto não deu previsões para a sequência das obras ou outros projetos, uma vez que a revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico deve nortear a Companhia nos próximos investimentos. O presidente da Casan mostrou otimismo na agilização do contrato de programa que prevê investimentos até 2042. "Vivemos um bom momento em que estamos conseguindo, com o aumento da nossa capacidade de endividamento, buscar novos financiamentos e esperamos, com isso, poder antecipar a execução desses contratos".



correiodonorte
SEPARADOR COLUNISTAS.png




site cópia não autorizada.png

JORNAL CORREIO DO NORTE - Rua Três de Maio, 364, Centro, Canoinhas-SC - (47) 3622-1571 - Whats: 47 9659-4455

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio do Norte