,
Prevenção

Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase

No último domingo do mês de janeiro foi o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase

Foto: Divulgação
A data foi criada para chamar a atenção da sociedade sobre a importância da prevenção e do tratamento adequado da doença

Da redação com informações da OMS

Conhecida vulgarmente como lepra, a hanseníase ou 'Mal de Hansen' é uma doença infecciosa, contagiosa, que afeta os nervos e a pele e é causada por um bacilo chamado Mycobacterium leprae. A doença tem um passado triste, de discriminação e isolamento de pacientes, devido às deformidades que causava, e é muito comum ser citada em textos bíblicos sobre leprosos e pessoas que eram "amaldiçoadas" visto que na época, não havia cura para a doença.

Transmissão

Os pacientes sem tratamento eliminam os bacilos através do aparelho respiratório superior (secreções nasais, gotículas da fala, tosse, espirro). O paciente em tratamento regular ou que já recebeu alta não transmite a doença. A maioria das pessoas que entram em contato com estes bacilos não desenvolvem a doença. Somente um pequeno percentual, em torno de 5% de pessoas, adoecem.

Sintomas e tratamentos da doença

Este domingo, 27, foi instituído pela Organização Mundial da Saúde como o Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase. O tema deste ano foi: "Hanseníase identificou, tratou curou". O Brasil está na segunda posição do mundo, entre os países que mais registram novos casos da enfermidade.

Ela é a segunda doença considerada a mais antiga da humanidade. Não é hereditária e sua evolução depende de características do sistema imunológico da pessoa que foi infectada. 

Sintomas

Os principais sintomas são manchas na pele que podem ser únicas ou várias e de diferentes formas e tonalidades, sendo claras ou avermelhadas e essas manchas podem provocar também alterações de sensibilidade ao frio, calor e toque.

Outros sintomas comuns são formigamento, sensação de choque, dormência e queimaduras nas mãos e pés pela perda da sensibilidade, além de falta de força e problemas nos olhos.

Tratamentos

Quando não diagnosticada e tratada precocemente, a hanseníase evolui para incapacidade física, principal responsável pelo preconceito e discriminação às pessoas acometidas pela doença, que tem cura.

Os medicamentos são gratuitos e estão disponíveis na rede SUS. O tratamento varia de seis meses a um ano, dependendo da quantidade de bacilos e lesões. Se sentir algum desses sintomas, procure imediatamente o posto de saúde mais perto e realize o diagnóstico, se for detectado precoce maiores são as chances de cura!




correiodonorte





site cópia não autorizada.png

JORNAL CORREIO DO NORTE - Rua Três de Maio, 364, Centro, Canoinhas-SC - (47) 3622-1571 - Whats: 47 9 8865-7880

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio do Norte